Dicionário

Pequeno dicionário de termos e siglas que permeiam nossas conversas por aqui!

Amniotomia = ruptura prematura e artificial da bolsa amniótica provocada pelo médico ou parteira com o intuito de intensificar o trabalho de parto.

Braxton-Hicks = contrações uterinas indolores que começam a partir da vigésima semana de gestação. Elas são um treinamento do corpo se preparando para o parto.

Cesárea = cirurgia de extração do bebê, não é parto, é chamada de via alta de nascimento de um bebê. Às vezes, é realmente necessária e salva vidas, mas só em torno de 15% das gestações.

DPP = Data Provável do Parto. Em geral é datado o dia em que se completa 40 semanas ou 280 dias após a última menstruação. No entanto, existe um "período", entre 37 e 42 semanas, em que a gestação é considerada à termo e o parto pode acontecer naturalmente.

DUM = Data da Última Menstruação. É usada para calcular a DPP e a IG.

Enema = é a famosa lavagem intestinal. Intervenção desnecessária, desconfortável e prejudicial, muito comum antigamente, mas hoje praticamente não é mais realizada.

Episiotomia = corte feito no períneo por um médico ou parteira. É uma intervenção totalmente desnecessária, prejudicial e contra-indicada pelas evidências científicas. Também conhecida como "pique".

GO = médico(a) especialista em Ginecologia e Obstetrícia, também chamado de obstetra.

IG = Idade Gestacional. É a duração da gestação até o momento ou até o parto.

Manobra de Kristeller = manobra obstétrica obsoleta, sem nenhuma indicação que a justifique. Consiste em pressionar o fundo do útero materno com ambas as mãos em direção à pelve durante uma contração uterina, na intenção de empurrar o bebê e ajudá-lo a nascer. É realizada pelo médico ou seu auxiliar, tanto em partos vaginais como em cesáreas. Pode causar injúrias aos órgãos intracavitários maternos, além de exercer ação deletéria sobre o bebê.

Nitrato de Prata 1% = colírio instilado nos olhos do recém-nascido na primeira hora de vida para prevenir oftalmia neonatal gonocócica, também conhecido como Método de Credé. Só deveria ser utilizado se a mãe fosse diagnosticada com infecção bacteriana gonocócica e se o bebê nascesse via vaginal, porém, é utilizado indiscriminadamente nos hospitais públicos e privados do país, mesmo após cesáreas!

PD = Parto Domiciliar. É o parto normal que transcorre em casa, num ambiente familiar, e não em um hospital.

PN = Parto Normal ou parto vaginal. É o único tipo de parto que existe, pois parto pressupõe uma mulher parindo e mulher só consegue parir se for pela vagina! É chamado de via baixa de nascimento.

TN = Translucência Nucal. É uma prega na nuca do feto que deve ser medida entre 11 e 13 semanas + 6 dias, por meio de US. Se o valor medido for maior que 2,5mm significa que há um grande risco do feto apresentar alguma cromossomopatia como, por exemplo, Síndrome de Down. Todavia, não dá certeza absoluta nem fecha diagnóstico. Exame cruel, com margem alta de erro, que pode ser dispensado na assistência pré-natal!

TP = Trabalho de Parto. Evento que antecede o parto. Dividido em dois períodos: Dilatação Uterina e Expulsivo. O período de Dilatação Uterina é dividido em três fases: latente (até 6 cm), ativa (a partir de 6 cm) e transição (até 10 cm). O período Expulsivo inicia-se quando atinge a dilatação completa (popularmente se fala em 10 cm) e termina com o parto, nascimento do bebê.

Tricotomia = raspagem dos pêlos pubianos, absolutamente desnecessária em partos vaginais.

US = ultrassonografia. Também chamado de ecografia. Exame de imagem realizado durante a gestação para avaliar, entre outras coisas, aspectos morfológicos e bem-estar fetal. Recomendado um por trimestre.

VBAC = Vaginal Birth After Cesarean - tradução: parto vaginal após cesárea. No Brasil se usa a sigla PNAC para parto normal após cesárea.